Pesquisa aponta perfil das empresas

O levantamento aponta também que 86% dos entrevistados não possuem especialização em segmento ou atividade

Levantamento aponta também que 86% dos entrevistados não possuem especialização em segmento ou atividade

Levantamento aponta também que 86% dos entrevistados não possuem especialização em segmento ou atividade
Foto: Dreamstime

A maioria das empresas contábeis do Estado de São Paulo (89%) conta com até dois sócios e até 150 clientes, revela pesquisa conduzida pelo Vox Populi a pedido do Sescon-SP. O levantamento, divulgado durante a 25ª edição do Eescon, aponta também que 86% dos entrevistados não possuem especialização em segmento ou atividade.

A pesquisa mostra que 75% das organizações contábeis são de pequeno e médio porte, com receita mensal média de até R$ 60 mil. “Atuam como uma espécie de clínico geral”, comenta a diretora administrativa do Sescon-SP, Terezinha Annéia.

Ela afirma que a especialização em um segmento tem seu lado positivo, por tornar o profissional referência na atividade, mas pode colocar em xeque um negócio, caso este segmento enfrente algum problema. Continuar lendo

10 maiores empresas ganham mais do que maioria dos países do mundo juntos

69 das 100 maiores entidades económicas são empresas, e não países. Se olharmos para a lista das 200 principais entidades económicas, a situação é ainda mais flagrante, já que 153 são empresas. A Walmart, Apple e Shell são mais ricas do que a Rússia, Bélgica e Suécia.

Continuar lendo

Cinco empresas londrinenses aparecem em ranking de melhores do Brasil

Cinco empresas de Londrina aparecem no ranking Valor 1000, realizado anualmente pelo jornal Valor Econômico em parceria com o Serasa Experian. As cinco empresas estão concentradas nos setores de empreendimentos imobiliários, com Plaenge e A. Yoshii, e de agronegócio, com a Cooperativa Integrada, a Adama e a Cacique.

Em todo o Paraná, 67 empresas foram ranqueadas. O resultado do ranking consolida a importância das grandes empresas da construção civil para o desenvolvimento do município ao fomentar e consolidar toda uma cadeia produtiva, com empresas que envolvem alta tecnologia e que exigem mão de obra cada vez mais especializada. Continuar lendo

Jovens de até 25 anos ocupam 25% das melhores empresas para trabalhar

A cada quatro funcionários de uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil, um tem até 25 anos, conforme os dados recentemente divulgados pela empresa de soluções em ambiente de trabalho Great Place to Work. A análise revela, ainda, que 37% têm entre 26 e 34 anos, 22% entre 35 e 44 anos, 12% acima de 45 anos e 3% mais de 55 anos. Continuar lendo

Os 10 passos definitivos para ativar consultores

Os 10 passos definitivos para ativar consultores

os 10 passos definitivos para ativar consultores from Domi Müller on Vimeo.

Os números por trás das 300 maiores empresas de arquitetura dos EUA

Há algumas semanas o Architectural Record publicou sua lista das 300 maiores empresas de arquitetura dos EUA, com base nos ganhos de 2015. No entanto, o que se pode aprender com estes números e com as empresas que as geram? Nesta matéria do ArchSmarter, Michael Kilkelly mergulha nas cifras que tornam estas empresas tão bem sucedidas, fazendo uma comparação dos números em função do tipo e localização da empresa e onde realizam seus projetos. Continuar lendo

Pesquisa sobre varejo on line é apresentada em São Paulo

noticia_113255

A coordenadora da carteira de e-commerce do Sebrae, Karen Sitta, apresentou na quarta-feira (25), em palestra no Latam Retail Show, em São Paulo, a 3ª Pesquisa Nacional de Varejo On Line. Segundo o estudo, realizado em parceria com o E-commerce Brasil, 90% das empresas que atuam somente no e-commerce – sem lojas físicas – são pequenos negócios, sendo que 45% são MEI, e a tributação é, hoje, a principal preocupação dos empresários do setor, superando a logística. Continuar lendo

Rede de supermercados integra lista de melhores empresas para trabalhar no país

Pela sétima vez a rede de supermercados Prezunic figura no ranking das melhores empresas para trabalhar no Brasil, segundo o ranking da Great Place to Work (GPTW). A pesquisa premiou 150 organizações corporativas nas categorias grande porte, médio porte nacionais e multinacionais. No ranking Rio de Janeiro, a rede ficou na quarta posição.?  Continuar lendo

Só 61% de empresas têm código de ética

ICTS Protiviti avalia que maturidade do mercado sobre compliance ainda é muito baixo

Apesar da Lei Anticorrupção – vigente desde 2013, embora regulamentada somente em 2015 – e da Lava Jato,  a maioria das empresas brasileiras ainda está muito exposta ao risco de corrupção e longe de adotar métodos corretivos para prevenir esses atos. Ou seja, estão pagando para ver até onde conseguirão chegar sem adotar as medidas necessárias. Essa é a conclusão de pesquisa realizada pela consultoria ICTS, braço no Brasil da norte-americana Protiviti. Isso porque 39% das empresas brasileiras não possuem sequer um código de ética, exigência legal do decreto 8.420/2015, que regulamentou a Lei Anticorrupção (12.846, de 2013). Continuar lendo

Brasileiros ainda deixam emprego por falta de oportunidade, diz pesquisa

Pesquisa do LinkedIn mostrou que muitos profissionais brasileiros ainda deixam o emprego por falta de oportunidade de crescer na carreira. Segundo o levantamento, 40% dos trabalhadores disseram que isso é o maior motivador para mudar de empresa.

Buscar um trabalho desafiador (38%), insatisfação com remuneração e benefícios (34%), insatisfação com ambiente de cultura da empresa (30%) e insatisfação com recompensas e reconhecimento (26%) foram citados como os principais fatores para buscar uma nova oportunidade de emprego. Continuar lendo